Passeio pela Estrada da Graciosa

De visita ao Paraná, na cidade de Curitiba, eu visitei um lugar que realmente marcou bastante essa viagem. Você já deve ter ouvido falar sobre a Estrada da Graciosa, e eu posso afirmar com toda certeza de que ela faz jus a esse nome, porque o trajeto é lindo! Vou contar para você como foi essa experiência!

Localização e características da Estrada da Graciosa

A Estrada da Graciosa começa sua história pela construção, que aconteceu sobre uma antiga rota de tropeiros. Hoje ela também é conhecida como PR-410, e faz a ligação entre Curitiba e Morreste e Antonina, cidades litorâneas do estado.

É uma estrada muito sinuosa, então, se você enjoa fácil é melhor ir prevenido. Porém, o trajeto é maravilhoso, e durante todo o percurso consegui ver as montanhas da Serra do Mar. E a Graciosa segue por serra abaixo, cercada peça Mata Atlântica com vegetação muito densa.

Para chegar até ela é preciso ir até a BR-116 no sentido de São Paulo. São 33 km rodados a partir do trevo de Atuba, até chegar ao portal que fica a direita e dá início para a Estrada da Graciosa.

O trajeto desse passeio dura cerca de 1 hora e meia se você for de carro. Mas também há quem prefira curtir a paisagem de Van, moto e bicicleta. Mas isso é questão de gosto mesmo, porque as belezas estão lá para todos!

Eu fiz o trajeto da Graciosa descendo a serra e depois subi pela BR-277. Vários trechos da estrada são calçados com paralelepípedos, e o que você vai ver muito por lá são as belas hortênsias, todas floridas colorindo o caminho a beira da estrada.

Ela é estreita, embora tenha mão dupla, mas não é permitido circular por ali veículos grandes como caminhões, e no máximo micro ônibus é que tem permissão. A velocidade mais alta em alguns trechos é de 60km/h.

Mas não é preciso ter pressa mesmo, a começar porque por ser tão sinuosa pode ser perigoso para você correr demais por ali, e outra que são tantas belezas que se você acelerar não vai conseguir curtir nada.

O legal é ir sem pressa, como eu fiz, para fazer suas paradas em lugares estratégicos e apreciar todo o visual dessa bela estrada. Há muita exuberância da natureza por lá, por tratar-se de uma área muito conservada.

Meu roteiro pela estrada da graciosa

O passeio já começa bonito, porque o portal que dá acesso para a Graciosa é lindo, uma construção muito alta e que ainda tem um charmoso sino! Depois de algumas fotos por lá, mais 6 km e eu já estava no Recanto Engenheiro Lacerda.

Os recantos estão ao longo da estrada e oferecem suporte para quem trafega ou passeia por ali. Eles vendem bebidas e comidas, alguns possuem churrasqueiras e ainda com banheiros se for preciso alguma emergência!

Depois, uma parada no Recanto Rio Cascata, ali é difícil achar estacionamento, porque as vagas são poucas, mas vale fazer sua parada porque o lugar é muito bonito! Mas se você não parar aqui, pode seguir até o Recanto da Grota Funda, que foi o próximo que encontrei.

É justamente depois desse recanto que a estrada parece ficar ainda mais bela. Ela se torna mais sinuosa, com curvas muito fechadas que exigem atenção, mas você vai rodar devagar, porque a paisagem é linda e o chão pavimentado com paralelepípedos.

Meu destino era chegar em Morretes, mas antes eu fiz uma parada no Recanto Bela Vista também. Eu optei ir para Morretes porque ouvi um falar sobre a culinária de lá. Mas você tem também a opção de ir para Antonina, basta escolher o lado da bifurcação que leva a cada uma delas.

Ambas cidades são belas, e guardam a história do Paraná, por isso, há vantagem visitar qualquer uma delas. Como fui para Morretes aproveitei para experimentar um prato típico do estado, o barreado, que chegou ao Brasil trazido pelos portugueses.

O que posso resumir do meu passeio pela estrada da Graciosa? Belezas e mais belezas! O trajeto, digo mais uma vez, é lindo e você vai se apaixonar. Por isso, prepare sua câmera e não economize nas fotos para guardar de recordação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *